Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

livrosquesãoamigos

livrosquesãoamigos

20210102_181405.jpg

O último Natal em Paris  -  Hazel Gaynor e  Heather Webb

Como já referi aqui, Natal no título de um livro é compra na certa. Este deixou-me bastante desconfiada, mas com um título destes, que fazer?

Esperava que fosse delicodoce, mas afinal adorei.

Tem delicadeza e tem doce, mas também tem conteúdo e uma estrutura que nos envolve no enredo e faz com que estejamos a sofrer com todos os intervenientes.

Tem a originalidade de contar a história através das cartas entre dois amigos durante a 1º Guerra Mundial. As cartas acontecem entre eles e alguns amigos e familiares, e assim ficamos a conhecer as trincheiras em França e tudo o que fez parte daquele conflito que arrasou parte da Europa.

É uma história de amor e de superação, de resiliência e de luta por um papel relevante na resolução do conflito.

A parte delicodoce é a paixão entre os dois protagonistas e o sonho de um Natal em Paris.

Fiquem com uma pequena missiva para abrir o apetite. 

 

                                 De Evie para Thomas

                                                                                                      16 de Maio de 1916

Richmond, Inglaterra

Meu querido Tom,

Por onde raio andas tu?

Escrevo-te carta atrás de carta e continuo sem receber uma única notícia tua. Esquadrinho os jornais, mas não consigo encontrar nada sobre ti ou o teu batalhão. Já não sei em que batalhão estás agora. Como podes simplesmente ter desaparecido?  Como posso suportar este terrível silêncio?

Peço-te que me escrevas. É demasiado horrível não receber notícias tuas e, apesar de duvidar que recebas as minhas cartas, devo, de qualquer maneira, continuar a escrever-te, apenas para que saibas que penso em ti todos os dias e rezo pela tua segurança.

      A tua, sempre,

Evie

 

20210104_203240.jpg

Férias de Natal  -  Somerset Maugham

Este descobri-o há dois dias ao arrumar um livro na estante. E pensei, o que está este a fazer aqui, como é que ainda não o li? E decidi lê-lo agora, antes que a época natalícia acabasse. Foi lido em 2 dias. Ao pé dele havia mais uns quantos do mesmo autor, e fico desejosa de os ler.

Acontece realmente na época de Natal, mas se tiver 2 vírgulas natalícias é muito. O enredo desenrola-se em Paris, e foi um prazer vivê-lo em tão pouco tempo, deu para saboreá-lo.

Misturou o amor, o crime, o luxo e a miséria, e demonstrou contestação por uma série de coisas que temos por adquiridas, mas que talvez não sejam assim tão seguras. 

Um pequeno excerto:

 

Caminharam para cima e para baixo, na plataforma, procurando alguma coisa que dizer, como costuma suceder em tais ocasiões, mas não encontrando nada que que parecesse digno de menção. Charley perguntava consigo, se não lhe ocorreria, a ela,que, com toda a possibilidade, os dois nunca mais se veriam na vida. Causava estranheza pensar que durante cinco dias tinham sido quase inseparáveis, e dentro de uma hora seria como se nunca se houvessem encontrado. Mas o comboio ia partir. Ele estendeu a mão para despedir-se. Lídia cruzou os braços sobre o peito, naquele seu gesto que sempre lhe parecera singularmente tocante. Tinha os braços assim cruzados naquela noite que chorara em sonhos.

 

Tenham um ano de boas leituras.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.